(11)­ 3541-1293
(21) 3400-8020

10 benefícios de ensinar programação a crianças e adolescentes

Vivemos num mundo cada vez mais dominado por tecnologias digitais. Usamos smartphones, tablets e computadores praticamente o dia inteiro, da hora em que acordamos a quando vamos dormir. Com o avanço da tecnologia, é cada vez mais comum o debate no mundo sobre ensinar crianças a programar. Na Inglaterra, por exemplo, aulas de programação foram inseridas na grade escolar após amplo debate na sociedade. Nos Estados Unidos, o número de entidades e organizações não governamentais criadas com esse intuito também é crescente.

Afinal de contas, por que se tem argumentado tanto a favor do ensino de programação para crianças? A MadCode reuniu 10 argumentos para explicar a tendência. Confira:

1 – Programação é a “língua do futuro”

O mundo atual é dominado por softwares. Usamos celulares e smartphones cada vez mais modernos que controlam não só nossas ligações e conversas (como o Whatsapp), mas grande parte de nossas vidas (agendas, contatos, podcasts, músicas, redes sociais). Compramos cada vez mais pela internet; fazemos agendamentos de exames médicos e de serviços públicos (como a renovação da CNH) online; usamos aplicativos para ver mapas e percursos no trânsito. O mundo da nova geração será ainda mais online e digital. Saber criar esses programas e entender como um computador funciona é saber falar a língua do futuro. Ser “fluente” em tecnologia significa entender como o computador pensa e funciona e saber usá-lo a seu favor.

2 – Programar é o novo inglês

Enquanto no passado saber falar inglês era considerado um diferencial competitivo no mercado, atualmente saber o idioma já é uma obrigação. Os softwares estão cada vez mais presentes em nossas vidas e “falar a língua dos computadores” será uma demanda cada vez mais presente em todos os níveis profissionais. “Não saber a linguagem dos computadores será tão desafiador como ser analfabeto ou não saber fazer cálculos nos dias atuais”, sugere Dan Crow, diretor de Tecnologia do Songkick, em artigo publicado no jornal britânico “The Guardian”. Não saber programar é “como conseguir ler, mas não saber escrever com novas tecnologias”, sugere, por sua vez, Mitch Resnick, do Laboratório de Mídia do MIT, em palestra no Ted Talks. Resnick é também o criador do Scratch, ferramenta de ensino de programação para crianças.

3 - Desenvolver a criatividade

Nas aulas de programação, crianças e adolescentes usam a imaginação para desenvolver o aplicativo, jogo ou software que imaginarem. O exercício de dar vida e transformar em realidade uma ideia que está no rascunho é um dos benefícios de aprender a programar. “Programar é a arte de dizer a um computador o que ele deve fazer”, diz Crow em seu artigo. Quando o jovem está na frente do computador criando um jogo, ele passa da posição passiva de apenas jogar, para a de criador, desenvolvedor do próprio game, o que dá a sensação de empoderamento e estímulo para se criar e desenvolver novos programas, diz Resnick.

4 – Pensamento computacional

Uma pessoa que sabe programar precisa conhecer minimamente como a tecnologia funciona, sugere Daniel Cleffi, sócio-fundador da MadCode. Tal conhecimento é chamado de “pensamento computacional”. Especialistas defendem que ensinar crianças a programar não significa fazê-las atuar como “engenheiros da computação”, mas sim que eles aprendam o pensamento computacional. Essa forma de raciocínio combina matemática, lógica e algoritmos e ensina uma nova forma de pensar sobre o mundo, diz Dan Crow.

5 – Saber resolver problemas de forma prática

O pensamento computacional também ensina o aluno a como lidar e solucionar difíceis problemas dividindo-os numa sequência de partes menores (de problemas mais fáceis de serem solucionados). Dessa forma, aprender a programar possibilita que o estudante saiba lidar com problemas complexos de forma eficiente. Ou seja, ajuda a resolver primeiro problemas específicos para depois chegar na parte mais abrangentes de um problema ou questão.

6 – Aprender com erros e lidar com frustrações

Durante as aulas de programação, as crianças se deparam com problemas difíceis para resolver. Sem solucioná-los, o jogo não funciona. Contudo, os alunos acabam vendo a solução do problema como um desafio. Eles entendem que é preciso arrumar erros e solucionar problemas para que o jogo funcione e transferem esse aprendizado para os próximos jogos e exercícios. É por isso que especialistas da área afirmam que aprender a programar ensina crianças a lidar com erros e frustrações. Elas podem transferir esses aprendizados para a vida como um todo.

7 – Estímulo para aprender cada vez mais

Steve Jobs dizia que “todos deveriam saber programar, porque isso nos ensina a pensar”. Com a programação, o estudante aprende a pensar de forma estruturada, diz Cleffi. No caso das aulas para crianças, por exemplo, elas acontecem de maneira divertida, o que permite que alunos precisem resolver questões de matemática ou física para conseguir fazer um jogo funcionar. As crianças aprendem exatas na prática e brincando. Além disso, antes de criar um programa para qualquer finalidade, é preciso pesquisar e aprender a respeito do tema em questão. “Saber programar possibilita que as crianças aprendam isso de um jeito que tem sentido e te motiva, porque você compreende a razão para aprender variáveis”, defende Resnick, em sua palestra.

8 - Ferramenta para mudar o mundo

Aprender a programar é ter nas mãos a possibilidade de criar softwares e aplicativos que possam resolver problemas reais da sociedade e tornar o mundo um lugar melhor para se viver. Alunos de programação da MadCode, por exemplo, já criaram um aplicativo para economizar água. Entre as funções do app há metas de consumo e controle de água, além de mostrador da quantidade de água economizada em um banho mais rápido, por exemplo. Dessa forma, é comum alunos do curso de programação terem ideias e pensarem em desenvolver softwares para colaborar com projetos de outras pessoas. É claro que, da mesma forma, esses estudantes aprendem que todo projeto precisa de um planejamento inicial, desde o surgimento da ideia ao passo a passo para colocá-lo em funcionamento.

9 – Aproveitar o tempo no computador

As crianças passam cada vez mais tempo na frente do computador e a tendência é que a tecnologia esteja mais presente em suas vidas. Dessa forma, aprender a programar é uma forma de sair da posição de consumidor passivo da tecnologia para o posto de criador e desenvolvedor. Há casos de alunos da MadCode que deixaram de passar o tempo jogando X-Box ou PlayStation e passaram a desenvolver os próprios jogos e compartilhá-los com amigos. É uma forma de tornar produtivo o tempo na frente do computador.

10 - Expressar ideias e sentimentos

Programar permite que crianças e adolescentes usem a tecnologia para colocar ideias em práticas e expressar sentimentos. É possível programar para criar um jogo, um aplicativo ou até mesmo um cartão interativo para o Dia das Mães, defende Resnick em sua palestra. “Programar estimula você a praticar sua criatividade e desenvolver novas formas de se expressar”, sugere o especialista.

 

  • Facebook
  • Twitter
  • Google

<Planos e matricula/>

MENSAL FAÇA UMA AULA GRÁTIS

MENSAL
  • PLANO BÁSICO
  • PREÇO ÚNICO PARA QUALQUER CURSO
  • VAGAS LIMITADAS
MATRICULE-SE

TRIMESTRAL FAÇA UMA AULA GRÁTIS

TRIMESTRAL
  • 5% DE DESCONTO
  • PREÇO ÚNICO PARA QUALQUER CURSO
  • VAGAS LIMITADAS
matricule-se

SEMESTRAL FAÇA UMA AULA GRÁTIS

SEMESTRAL
  • 10% DE DESCONTO
  • PREÇO ÚNICO PARA QUALQUER CURSO
  • VAGAS LIMITADAS
matricule-se